Canal do Youtube

Novidades


Helicoverpa armigera: “Só aplicação de produto químico não é sustentável
20 de Janeiro de 2014

O coordenador da Caravana Embrapa, Paulo Roberto Galerani, defende que o controle da Helicoverpa armigera deve ser feito atráves do manejo integrado de pragas (MIP). “Com o tempo, o conceito de manejo integrado foi ficando um pouco esquecido, porque os produtores fixaram muito em uma tática do manejo apenas, que é a aplicação de produto químico”, explica ele.

“O tempo mostrou que esta tática sozinha não é sustentável nem tecnicamente, nem ambientalmente e nem mesmo economicamente. Com o aparecimento desta praga, que deu uma mexida naquilo que o agricultor tem desenvolvido para o controle das suas pragas nas lavouras, ele percebeu que só esta prática não é possível”, afirma Galerani.

Os pesquisadores da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária e de instituições parceiras estão com a Caravana Embrapa de Alerta às Ameaças Fitossanitárias no estado do Mato Grosso. Durante esta semana, a iniciativa promoveu palestras e debates em diversas regiões, contando com a participação de consultores técnicos e produtores.

“Precisamos empregar as técnicas do manejo integrado de pragas. Começando pelo monitoramento, que é o básico. Só decidir controlar, independentemente da estratégia, respeitando o nível de controle das pragas”, orienta o pesquisador da Embrapa Agrossilvipastoril Rafael Major Pitta.

O diretor técnico da Aprosoja Mato Grosso, Neri Ribas, destaca que, “a partir de agora, temos de pensar em não deixar morrer mais. Temos de sempre acompanhar, monitorar. Temos de colocar a batida de pano, que já é conhecida há mais de 30 anos, em prática. Temos de adotá-la como ferramenta do dia-a-dia do produtor”.

 

Agrolink

Autor: Leonardo Gottems


Helicoverpa armigera
Fechar Próxima Anterior

Helicoverpa armigera



+ novidades

00000

Bosque Olivos | Estação Experimental de Pesquisa | Cultivo Agronatural de Oliveiras | Cachoeira do Sul / RS | (51) 99591045